Como havia falado no post anterior, com o diagnostico tardio, o cuidado preventivo da Nina foi bem falho. A gente acabava por “cuidar” e não “prevenir”.
Nesse período, usávamos um creme de pele, super hidratante, após os banhos, mas numa frequência baixa, então ela sempre estava com alguma parte do corpo ferido ou com aspecto ruim.
Após o diagnóstico correto, incluímos essa hidratação na rotina diária da Nina.
Não foi difícil explicar pra ela o que ela tinha e qual era a importância da prevenção, o difícil é controlar esse cuidado já que, logo após o diagnóstico, ela começou a ter seus banhos monitorados e não mais com nossa participação total. Além de que, crianças nessa idade, tem uma memoria curta e se perdem nas rotinas com muita facilidade.
Não tem segredo, tem que ficar em cima.
Hoje em dia eu pergunto todos os dias se ela fez o procedimento e poucas vezes ela não o fez. Além de que temos esse creme conosco em todas as viagens, na nossa casa de praia e na casa das avós para quando a Nina vai dormir lá, assim ela nunca fica sem por esquecimentos ou por qualquer eventualidade do dia-a-dia.
Também ficamos mais atentos aos dias em que ela está correndo e brincando muito ou quando algo a deixou irritada e automaticamente ela começa a se coçar mais.
Já faz dois anos que não temos nenhuma crise e estamos com a pele quase sem marcas, e assim pretendermos continuar, com prevenção e não correção.
E você… me conta com é sua rotina preventiva.
Até abreve,
Iza e Nina

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email