Estou feliz por mais um conteúdo que escrevo aqui para o blog da CDD. Isso é muito significante! Vocês não fazem ideia de como falar sobre a urticária tem me ajudado ao longo desses anos a lidar com a doença.
Antes, eu me isolava muito na minha condição, eu não compartilhava com outras pessoas, eu tinha medo de que isso fosse uma barreira que poderia fazer com o que as pessoas se distanciassem de mim.

Uma das maiores dificuldades de quem tem uma doença de pele é essa mesmo. E isso passa pela aparência. Poxa, e não é pra menos! A pele é o maior órgão do seu corpo, ela tá ali, aparecendo e deixando “cartão de visita” pra muita gente.

E muitas vezes nossa aparência com os sintomas gera aqueles olhares nas pessoas, de dúvida, de medo de contágio, talvez, e sem querer, nossa questão com a urticária acaba se tornando o centro das atenções.
A verdade é que as pessoas são bem curiosas, e é muito interessante que elas perguntem pra gente a respeito da doença – afinal, assim elas ficam melhor informadas, e o que anda faltando para que a cada dia mais vivamos melhor é a informação correta a respeito da doença, assim nos livramos dos preconceitos, do diagnóstico tardio, e por aí vai…

Na minha experiência, eu percebo que existe dois caminhos para quem tem urticária poder levar a vida. O primeiro deles é a auto piedade. O segundo é a privação.

O caminho da auto piedade é uma mentira. Ele força você a acreditar que é incapaz, e que seu quadro clínico não te torna semelhante às outras pessoas. E eu percebo que muitos de nós acaba escolhendo essa opção em algum momento da vida com urticária.

O caminho da privação por sua vez, é a condição de você se isolar a respeito da doença que você tem, e isso você faz por medo de que as pessoas acabem significando essa parte como a mais importante da sua vida.

Minha ideia e inspiração para você aqui nesse texto é que você desenvolva bons relacionamentos e não escolha nenhuma dessas duas opções.

Pelo contrário, foque sua vida numa rotina intensa e criativa de desenvolver o seu próprio caminho. Conheça sua doença a fundo e gere uma reflexão sobre ela, quando isso acontecer você vai se sentir mais seguro com a sua condição da sua pele e por mais que seja uma condição um tanto que desconfortável, você sempre vai lembrar que independente de como seja, a sua pele nunca vai poder descrever tudo que você é.

E acredite, quando você começa a ver as coisas dessa forma, as pessoas que estão perto de você só acompanham essa sintonia!

Menos urticária, mais vida.

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email