UCE

urticária crônica espontânea

O que é?

O que é urticária crônica espontânea?

A UCE é uma irritação cutânea caracterizada por lesões avermelhadas na pele que coçam intensamente e mudam de lugar, e podem ser associadas ou não a inchaços em partes do corpo (chamados angiodemas).

Essas lesões duram pelo menos seis semanas e não são causadas por fatores externos desencadeantes, como cosméticos, perfumes, alimentos, produtos de limpeza e medicamentos. A urticária crônica afeta cerca de 1% da população mundial, sendo que a maior parte dos casos (66,6%) registrados são do tipo espontânea.

A condição não é contagiosa nem fatal

As causas conhecidas estão relacionadas a autoimunidade, situação em que o sistema imunológico do paciente ataca sua própria pele. A UCE não é causada por estresse ou sobrecarga emocional, embora estes fatores possam exacerbar os sintomas.

A UCE pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais frequente entre os 20 e 40 anos. Para cada homem com UCE, há duas mulheres com a doença.

Diagnóstico

O diagnóstico de UCE é essencialmente clínico. Após a identificação da urticária, há dois passos essenciais para o diagnóstico correto e a escolha do tratamento ideal, que permitirá que a urticária fique controlada ou até mesmo acabe com os sinais e sintomas da doença. Primeiramente é preciso definir se urticária é crônica (sintomas duram por seis semanas ou mais) ou aguda (sintomas desaparecem em menos de seis semanas).


A urticária crônica espontânea precisa ser controlada, mesmo que não apresente risco para a vida, pois ela interfere, de forma significativa, na qualidade de vida e rotina dos pacientes e pode durar muitos anos.


O objetivo principal é receber um diagnóstico adequado e, então, poder começar o tratamento correto.
Para quem já foi diagnosticado com urticária crônica, uma medida importante é monitorar a doença. Isso pode ser feito por meio dos questionários UAS7 e o DLQI, reconhecidos e utilizados internacionalmente, que medem a gravidade dos sintomas e o seu impacto na qualidade de vida dos pacientes.


O tratamento da urticária crônica espontânea tem como objetivo o controle completo dos sintomas, permitindo que o paciente possa viver com qualidade e retomar suas atividades diárias sem prejuízos ou limitações.


Embora haja um algoritmo simples para diagnóstico da UCE, os pacientes levam até 5 anos para chegarem a um diagnóstico correto. Em razão disso, 67% dos pacientes desistiram de procurar um médico.

Sinais e Sintomas da urticária

Os pacientes com UCE podem ter somente urticas, ou somente angioedema, ou urticas mais angioedema.

Urticas

São lesões em alto relevo na pele, geralmente rodeadas por uma borda avermelhada, que coçam intensamente, a ponto de o paciente deixar de dormir e de exercer suas atividades normais (trabalho, estudo, atividades diárias).

As urticas têm uma característica peculiar: permanecem no mesmo local por, no máximo, 24 horas, reaparecendo em outras áreas do corpo em seguida. Em razão disto, é comum os pacientes com UCE dizerem que as lesões “andam pelo corpo”.

Angioedema

é um inchaço das camadas mais profundas da pele que está mais associado à dor do que à coceira. O angioedema pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas é especialmente no rosto que a lesão tem mais impacto, pois deforma significativamente a aparência do indivíduo afetado.

O angioedema aparece em minutos e some em até 72 horas.

Como é o tratamento da urticária?

A UCE é uma doença que se cura sozinha, mesmo sem tratamento. Um dia ela se vai, desaparece. Porém pode levar anos até que isso aconteça, prejudicando sensivelmente a vida produtiva dos pacientes. Em torno de 50% dos pacientes tem UCE por 1 a 5 anos, outros 20% podem chegar a 10 anos, mas há casos em que a doença chegou a durar 50 anos. Não há ainda como saber quanto tempo a UCE irá durar.

A UCE tem tratamento. O objetivo do tratamento é o controle completo dos sintomas. Menos de 50% dos pacientes com Urticária Crônica Espontânea respondem ao tratamento com anti-histamínico, mesmo nas doses máximas aprovadas. Para estes pacientes, recomenda-se avaliação médica para adesão a tratamentos mais modernos disponíveis no Brasil.

O medicamento biológico tem ação específica, atuando diretamente no anticorpo que desencadeia a doença, evitando a liberação da histamina no organismo e impedindo a aparição de sintomas na pele.

Com o tratamento correto, 92% dos pacientes podem obter o controle completo dos sintomas da UCE, vivendo com uma qualidade de vida equivalente à de uma pessoa sem a doença.

UCE x Alergia

Muitas vezes a UCE é confundida com uma alergia. Mas, apesar das semelhanças, tratam-se de duas coisas diferentes.

Alergia

Algumas vezes, substâncias inofensivas, como pólen ou a poeira, entram em contato com o nosso corpo e o sistema imunológico reage exageradamente. Isso é chamado de uma reação alérgica ou alergia. Essa reação acontece porque o sistema imunológico confunde a substância, como o pólen, com uma ameaça real e inicia uma resposta.

Assim, ativa os mastócitos, um tipo de célula que vive na pele e em outros lugares do corpo.

UCE

Quando os mastócitos liberam suas substâncias químicas, isso pode resultar na formação de urticas pruriginosas – assim como as que ocorrem com a UCE. Mas, embora o processo possa ser bastante semelhante, com os mastócitos liberando histamina tanto na UCE quanto nas alergias, a UCE não é causada um agente externo desencadeador das lesões.

As causas conhecidas da UCE estão associadas à autoimunidade, situação na qual o próprio sistema imunológico da pessoa que tem UCE ataca a sua própria pele (ataca os mastócitos da pele).

Vivendo bem com UCE

Até 93% dos pacientes que receberem diagnóstico e tratamento adequados podem viver suficientemente controlados (sem interferência da urticária no dia a dia) ou até mesmo sem nenhum sinal ou sintoma da doença.

Dicas para viver bem com UCE:

1

Siga as recomendações médicas, sempre!

1

2

Diga ‘NÃO’ à automedicação.

2

3

Mexa-se!

As atividades físicas e exercícios são sempre importantes!
3

4

Evite o que te faz mal…

Seja calor, estresse ou bebidas alcoólicas – observe o que é ruim para você. O objetivo do tratamento é o controle completo dos sinais e sintomas da urticária, para que você tenha uma vida normal, sem sinais, sintomas ou limitações.
4

5

Tenha atenção à alimentação

Alimentos podem desencadear crises de urticária.
5

6

Mantenha a calma!

A urticária não é causada por estresse, mas o estresse pode piorar a sua urticária.
6

7

Conheça e monitore seus índices:

utilize o DLQI e o UAS.
7

Dúvidas frequentes

A UCE não é uma doença contagiosa ou fatal.
A UCE não é considerada uma doença rara, mais de 740 mil pessoas convivem com a condição no Brasil.
A Urticária Crônica Espontânea pode acontecer em qualquer idade, com maior incidência em pessoas entre 20 e 40 anos de idade. Costuma afetar duas vezes mais as mulheres do que os homens e tem uma média de duração de 1 a 5 anos, podendo ter recidivas mesmo depois de muitos anos sem sintomas.
Irritação cutânea caracterizada por lesões avermelhadas na pele que coçam intensamente e mudam de lugar, e podem ser associadas ou não a inchaços em partes do corpo, além do possível aparecimento de angioedemas (inchaço) em camadas mais profundas da pele.
Com o tratamento correto, 92% dos pacientes podem obter o controle completo dos sintomas da UCE, vivendo com uma qualidade de vida equivalente à de uma pessoa sem a doença.
O objetivo do tratamento é o controle completo dos sintomas. Menos de 50% dos pacientes com Urticária Crônica Espontânea respondem ao tratamento com anti-histamínico, mesmo nas doses máximas aprovadas. Para estes pacientes, recomenda-se avaliação médica para adesão a tratamentos mais modernos disponíveis no Brasil.