Todos os pais sabem que ser pai e marido é um desafio único. Dito isso, nada pode ser mais prejudicial para o meu ego (ou de qualquer um) do que não ser capaz de gerenciar essas responsabilidades e deveres básicos – especialmente se a urticária espontânea crônica (UCE) for o que impede você de fazê-lo.

Uma das coisas mais difíceis é lidar com a minha UCE enquanto tento ser um bom marido e pai. É o que você esperaria desta doença: quando tenho uma crise e vejo minha esposa exausta por cuidar do bebê, não posso ajudá-la.

Os primeiros dias
Vamos voltar um pouco. Quando eu descobri que seria pai, fiquei em êxtase. Eu pulei pela sala ironicamente como se eu fosse uma criança. No entanto, depois de toda essa empolgação, fiquei preocupado que meu filho pudesse ser diagnosticado na UCE mais tarde, como eu. Até minha esposa ficou um pouco preocupada. Acredite ou não, na verdade fui confrontado por um membro da família e me disseram que eu não deveria ter um bebê com medo de que essa criança pudesse herdar a UCE. Independente de quão louco possa parecer, isso me fez pensar que seria tudo culpa minha se meu filho fosse diagnosticado.

Avanço rápido para maio de 2014. Meu menino veio a este mundo. Quando a paternidade começou, perdi muito sono nos primeiros meses. Falta de sono = surto para mim, então eu tive um surto durante esse tempo.

Durante meu surto, minha esposa lidou com toda a alimentação e troca de fraldas, e eu me senti envergonhado e inútil. Eu estava arrependido de ter o bebê, porque eu tinha urticas, e eu não era capaz de cuidar dele. Estava completamente de cama, e eu podia ouvir o bebê chorando e minha esposa há vários dias sem dormir. Eu tentei me forçar a cumprir normais deveres do papai, mas movimentos simples, como pegar o bebê no berço, eram terrivelmente dolorosos para o meu corpo inchado.

Esposa ou Super-Mulher?
Você pode imaginar que minha esposa se transformou em superwoman durante esse tempo. Ela estava correndo, havia pouca ajuda que eu poderia fornecer, e ela ainda amamentava. Mesmo nesses momentos de desespero, ela conseguiu fazer as tarefas necessárias, enquanto me apoiava. Não posso a agradecer o suficiente por estar ao meu lado. “Você vai passar por isso. Você vai”, ela dizia para mim, “e eu sei que você pode fazer isso.” Foram essas palavras simples que me ajudaram a passar. Eu vou passar por isso. Eu posso fazer isso.

Agora, essas palavras resolveram o meu surto? Claro que não. Mas elas me mantiveram calmo enquanto eu me movia através dele. Você não precisa de marido ou mulher para fazê-lo no dia a dia. Você simplesmente precisa de apoio.

Então, eu acho que você poderia dizer que tenho sorte. Tenho sorte de ter um filho. Tenho sorte de ter uma esposa que é mantida acordada durante a noite por causa da minha coceira, mas nunca reclama. Eu tenho sorte, que mesmo no meu ponto mais baixo, ela me lembra que eu vou passar por isso e ser o melhor pai que eu posso ser.

Luke é escritor da Skin to Live In que vive com urticária há mais de dez anos. Ele está ativo na comunidade Urticária on-line e tem muitas histórias poderosas para contar. Ele também é casado e atualmente mora no Canadá com sua esposa e filho recém-nascido.

Fonte: Skin to Live In http://bit.ly/2EtcQTr
Tradução e adaptação: Redação CDD

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email