por Suzana Gonçalves 
Mulher madura, 62 anos de vida, diariamente uma queixa, o tempo é válido na busca da paz interior, qualidade de vida e saúde.
Não, não foi a Esclerose Múltipla que me colocou na fila do serviço público de saúde. Aos 15 anos fui submetida à um isolamento hospitalar por longos 3 meses. Um derrame pleural me surgiu no auge da juventude. O primeiro teste de resiliência que a vida me impôs.
Três filhos, todos nascidos de parto cesarianas, tudo  pago do bolso, nos anos 80 nem se falava em plano de saúde.
Aos 51 anos a Esclerose Múltipla chegou e nos pegou de surpresa, já tinha plano de saúde, mas estava migrando para outro ,não tive direito a nada, a carência não permitiu. Muita  grana gasta  com consultas, exames, ressonâncias e internações.
Alívio pelo diagnóstico e saber que o tratamento de alto custo seria custeado pelo SUS.
E de bom, totalmente favorável ter o Centro de Referência em Esclerose Múltipla aqui na minha cidade, João Pessoa  na PB.
Centro este com todos os serviços multidisciplinares. Dispensação da medicação, enfermagem, psicologia, fisioterapia e neurologista.
Atualmente tenho plano de saúde.
A idade me impõe mais cuidados.
Acesso bom tanto do serviço público como o privado.
Gratidão imensa.
Continuo na luta coletiva por uma acessibilidades igualitária  de saúde a todas as pessoas do nosso país.
A convivência mais próxima com um número considerável de pessoas com doenças crônicas e graves, abre um leque de questionamentos.
Não posso ficar de braços cruzados.
A desigualdade é muito visível e complicada para os menos favorecidos.
Em especial nesse mês de conscientização sobre a prevenção do câncer de mama.
Atualmente vislumbro um apoio muito grande através de campanhas desenvolvidas pelo SUS e ONGS no propósito de dar continuidade à busca por qualidade de vida em especial as mais carentes de acesso aos serviços públicos pelo complexo  volume de mulheres a realizarem seus exames.
O envolvimento da população, serviços de saúde privados, mistério público e nós mulheres nos ajudando e ajudando uma as outras com certeza irá diminuir muito o número de óbitos.Diagnósticos precoces salvam vidas.
Lute por uma Garota!
Sua voz salva vidas.

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Scroll to Top