por Bruno Malavazzi

Meu nome é Bruno, tenho 43 anos, moro em Sao Paulo, e fui diagnosticado com depressão há 5 anos.

Há pouco mais de cinco anos, depois de me sentir mal mentalmente por muito tempo, resolvi procurar um psicólogo para tentar entender o que estava acontecendo comigo. Nesse período eu estava passando por um momento bem complicado em família, meu pai estava muito doente e alem de ajudar a cuidar dele eu tentava manter minha mãe ativa e alegre.

Após algumas sessões de terapia e inúmeras crises de ansiedade/stress/pânico, chegamos a conclusão que seria saudável eu procurar um psiquiatra para ajudar no tratamento. Eu tinha muito medo de como seria a consulta com um psiquiatra. O que minha família diria o que pensariam de mim? Coisas como: “Ele é um fraco”; “Ele não sabe lidar com os problemas” e coisas assim.

Descobri que eu convivia com a depressão muito antes do diagnóstico e que o estrago poderia ter sido muito maior se eu não tivesse procurado ajuda quando procurei. O maior medo de quem tem esse tipo de doença (sim depressão e uma doença, totalmente tratável), e o julgamento das pessoas. O fato de eu ser homem, próximo aos 40 anos de idade não ajudou muito pois sempre tem aquele papo de homem não chora, homem tem que ser forte, não pode demonstrar emoções.

Ser diagnosticado com depressão não ajudou na depressão, mas foi uma das melhores piores coisas que aconteceram na minha vida, agora eu sabia qual era o meu problema e eu poderia tratar isso e viver melhor. Comecei a tomar remedio e inicialmente eu quis parar o tratamento pois os efeitos colaterais iniciais são um pouco chatos, no meu caso foi confusão mental, falta de concentração e sonolência, mas o medico insistia que isso passaria e mais ou menos uma semana depois de começar com a medicação os efeitos colaterais passaram.

Tomar remédio não é o único “remédio”, a terapia e bem legal, exercícios são ótimos bem como pesquisar sobre a doença para entende-la. O antidepressivo te ajuda a tratar os sintomas a terapia ajuda a tentar entender a causa do problema, o exercício ajuda a manter a cabeça leve e clara, e a pesquisa te traz conhecimento.

Homens e mulheres de qualquer idade devem chorar, devem demonstrar emoções e não represa-las, seres humanos fortes são aqueles que demonstram seus sentimentos e mesmo assim seguem em frente sem se deixar abalar pelo que os outros vão pensar.

Caso sinta que você não está bem, procure ajuda, não há vergonha nenhuma nisso.

Cuidem-se, fiquem bem.

 

 

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email
Scroll to Top