Asma no sistema público de saúde

TRATANDO A ASMA

A Asma é uma doença crônica que pode ou não ser desencadeada por uma reação alérgica. Quando a asma é desencadeada por um alérgeno ela é chamada de asma induzida por alergia, ou apenas asma alérgica. A asma não alérgica pode ser desencadeada por fatores como exercício, estresse, ansiedade, ar frio ou seco. A asma grave que atinge cerca de 5% a 10% dos pacientes de asma. Ela é caracterizada quando os pacientes não alcançam os níveis adequados de controle, mesmo com o uso correto de tratamentos e altas doses de medicação. Não há cura para a asma grave, mas uma série de tratamentos  estão disponíveis – tanto para ajudar a prevenir os sintomas, quanto para tratá-los quando eles ocorrem. Sem tratamento adequado, a asma grave pode piorar com o passar dos anos, com ataques aumentando em sua frequência e gravidade. Seu pneumologista te ajudará no diagnóstico e na escolha do melhor tratamento para sua condição, pois nenhum paciente é igual ao outro.

 

MEDICAMENTOS PARA ASMA DISPONÍVEIS NO SUS

No Brasil a asma possui um PCDT – Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas, que teve última atualização em 2013. Esse PCDT, que rege os CID’s J45.0 (Asma predominantemente alérgica), J45.1 (Asma não alérgica) e J45.8 (Asma mista), recomenda tratamento não medicamentoso e medicamentoso combinados para os casos de asma.

O objetivo do tratamento da asma é melhorar a qualidade de vida da pessoa, por meio do controle dos sintomas e pela melhora da função pulmonar. O tratamento medicamentoso é realizado junto com medidas educativas e de controle dos fatores que podem provocar a crise asmática.

A definição do tratamento é feita a partir dos sintomas, do histórico clínico e da avaliação funcional conforme cada caso. São utilizados medicamentos para alívio rápido dos sintomas e para manutenção do controle da crise. A base do tratamento da asma persistente é o uso continuado de medicamentos com ação anti-inflamatória, também chamados controladores, sendo os corticosteroides inalatórios (bombinha) os principais. Pode-se associar também medicamentos de alívio, com efeito broncodilatador.

Em todos os casos, é preciso reduzir a exposição aos fatores desencadeantes/agravantes da asma. A cada consulta, o paciente deve receber orientações para o autocuidado –  identificação precoce dos sintomas, como proceder em caso de crise, controle e monitoramento da asma -, e ser agendado para reconsulta conforme a gravidade apresentada.

Resumindo, o tratamento da asma passa por 4 componentes básicos:

  1. Boa parceria médico-paciente
  2. Identificar e reduzir a exposição aos fatores de risco
  3. Avaliar, tratar e monitorar a asma
  4. Controlar as crises/exacerbações da doença

O Sistema Único de Saúde (SUS) fornece tratamento gratuito desde 2011 aos asmáticos por meio do Programa Farmácia Popular.

Atualmente os medicamentos que o SUS disponibiliza para os pacientes de asma são:

  • Brometo de ipratrópio
  • Dirpoprionato de beclometasona
  • Sulfato de salbutamol
  • Budesonida
  • Fenoterol
  • Formoterol
  • Salbutamol
  • Salmeterol
  • Prednisona
  • Prednisolona

Esses medicamentos podem ser obtidos mediante apresentação do CPF e da receita médica, em qualquer estabelecimento participante do Programa Farmácia Popular. Em alguns Estados são fornecidos outros medicamentos gratuitamente, conforme legislação estadual. Consulte a Secretaria de Saúde do seu Estado e Município sobre o fornecimento da medicação indicada pelo seu médico/sua médica.

Se o seu médico/sua médica lhe recomendar o uso de outro medicamento, você pode consultar se ele está disponível pelo SUS nos postos de saúde ou pelas farmácias de alto custo pela lista do RENAME (http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/relacao_nacional_medicamentos_rename_2017.pdf)

Existem ainda outros medicamentos indicados para asma que ainda não foram incorporados pelo SUS. É nosso compromisso atualizar o PCDT de asma para a inclusão desses medicamentos que podem trazer maior qualidade de vida para quem passa pela experiência de ter asma.

Além dos tratamentos medicamentosos, o SUS também fornece a reabilitação com fisioterapia respiratória para os pacientes de asma. Esse tratamento é muito importante para prevenir crises e trazer qualidade de vida aos pacientes.

 

 

Redação CDD

Fontes:

http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/asma

Blog da Saúde – Ministério da Saúde

https://ginasthma.org/

Compartilhe!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.

Rolar para cima