Enfisema, DPOC e câncer de pulmão: quais são as diferenças?

Entenda as três condições (enfisema, DPOC e câncer de pulmão) que acometem o sistema respiratório

 

O câncer de pulmão está entre os cânceres mais comuns em todo o mundo. No Brasil é o segundo tipo mais comum em homens e mulheres (sem contar o câncer de pele não melanoma). Em países industrializados, é a principal causa de mortalidade por câncer.

Enfisema é um termo que descreve mudanças estruturais no pulmão associadas à doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), mas não é câncer.

As duas doenças pulmonares compartilham importantes fatores de risco, principalmente devido à exposição à fumaça do cigarro. A DPOC é um conhecido fator de risco significativo para o câncer de pulmão, enquanto o câncer de pulmão tem sido associado a alterações na função pulmonar características do enfisema. A seguir, confira a relação entre enfisema e câncer de pulmão.

O que é enfisema?

O enfisema é uma doença pulmonar crônica que se encaixa no guarda-chuva da DPOC. Existem dois tipos principais de DPOC – bronquite crônica e enfisema.

  • A bronquite crônica ocorre quando as vias respiratórias ficam irritadas e inflamadas, resultando no acúmulo de muco e obstruções.
  • O enfisema é uma condição em que os pequenos sacos aéreos (alvéolos) presentes nos pulmões, que se expandem e encolhem a cada respiração, perdem elasticidade.
    • Os alvéolos perdem a capacidade de se contrair após a expansão e o ar fica preso dentro. Com o tempo, isso pode causar danos irreversíveis aos alvéolos.
    • Nos alvéolos ocorre a transferência de oxigênio para o sangue. Portanto, quando há menos alvéolos funcionando, menos oxigênio chega ao sangue.

Embora ambas as condições estejam associadas ao tabagismo, o processo de envelhecimento também resulta em um declínio da função pulmonar semelhante ao de alguém com enfisema. À medida que envelhecemos, três coisas acontecem: os alvéolos podem perder sua forma; o diafragma – que é o principal músculo respiratório – fica mais fraco, diminuindo a capacidade de inspirar e expirar; e os nervos nas vias aéreas tornam-se menos sensíveis a partículas estranhas. Quando as partículas se acumulam nos pulmões, elas podem danificar o tecido pulmonar. Essas alterações podem resultar em sintomas como fadiga, cansaço e falta de ar.

Como o enfisema é diferente do câncer?

O câncer de pulmão em si não é DPOC. O câncer de pulmão ocorre quando as células pulmonares anormais se multiplicam e substituem as células que normalmente ajudam os tecidos e órgãos a funcionar.

Em alguns casos, os cânceres de pulmão podem ser secundários ou se espalhar para o pulmão a partir de outro local. No entanto, 90% dos cânceres de pulmão estão relacionados ao tabagismo.

Embora fumar possa causar danos diretos aos pulmões, respirar o fumo passivo (linkar com a matéria sobre fumo passivo) também pode causar danos aos pulmões. Outras toxinas também podem fazer isso, incluindo produtos químicos inalados e outros poluentes ambientais.

Uma vez que essas células são danificadas – por doenças como a DPOC – elas ficam mais propensas a se tornarem anormais ou cancerosas.

Existe uma conexão?

Embora o enfisema e o câncer de pulmão sejam duas condições diferentes, eles compartilham algumas associações e o principal fator de risco para ambas, que é o tabagismo. Ambos podem levar ao mau funcionamento do sistema imunológico, inflamação e danos celulares que desempenham um papel no desenvolvimento das duas doenças.

Embora a fisiologia do enfisema em si não cause câncer de pulmão ou vice-versa, qualquer uma das condições pode criar um ambiente no qual a outra pode prosperar. Por exemplo, o dano celular causado pelo enfisema pode causar estresse e alterações genéticas no tecido pulmonar. Da mesma forma, as células cancerosas podem danificar os alvéolos e outros tecidos pulmonares, resultando em condições semelhantes à DPOC.

Na verdade, um estudo sugere que o enfisema é o marcador mais forte conhecido para o desenvolvimento de câncer de pulmão. Isso não quer dizer que o enfisema seja câncer de pulmão, apenas que as pessoas com enfisema correm um risco maior de desenvolver câncer de pulmão.

Sintomas

Os sintomas a seguir são comuns a pessoas com enfisema e a pessoas com câncer de pulmão:

  • Tosse
  • Aperto no peito ou dor
  • Falta de ar
  • Respiração ofegante
  • Aumento da produção de muco

Os seguintes sintomas, por outro lado, são mais comuns em pessoas com câncer de pulmão – embora também possam ocorrer no enfisema grave ou durante as exacerbações da DPOC:

  • Fraqueza e fadiga
  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Tosse com sangue (hemoptise)
  • Dor nas costas
  • Formação de tumores

Quando consultar um profissional

Um médico pode te avaliar para DPOC e/ou solicitar exames para detectar o câncer de pulmão se você estiver em alto risco para qualquer uma das condições devido ao fumo, exposição no local de trabalho ou outros fatores.

Você pode receber o encaminhamento para um especialista, como um pneumologista ou oncologista, para encontrar os tratamentos mais eficazes. O diagnóstico e o tratamento precoces são cruciais para ambas as doenças.

Em conclusão

O câncer de pulmão e o enfisema são duas doenças muito diferentes, mas têm fatores de risco, causas e sintomas semelhantes. Ambos podem ser causados pelo tabagismo ou outros danos aos tecidos pulmonares. Se você tiver dificuldade para respirar ou uma tosse crônica que está piorando, consulte um profissional de saúde.

 

Fonte: Healthline

Tradução e adaptação: Redação CDD – Crônicos do Dia a Dia

Compartilhe!!!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima