O que a chegada do outono significa para quem convive com condições respiratórias

Mais do que o final do verão, a chegada do outono marca uma outra época em específico para as pessoas que convivem com condições respiratórias: a possibilidade de exacerbações e crises mais frequentes.

Com o outono, vemos a temperatura mudar, o ar ficar mais seco e com a qualidade comprometida devido à maior concentração de poluentes – criando o ambiente perfeito para a manifestação de bactérias, vírus e manifestações alérgicas.

Além disso, com a baixa de temperatura, as pessoas tendem a manter as janelas e portas mais fechadas, com menos circulação de ar, diferentemente do verão.

Em São Paulo, o Hospital do Coração (HCor) já chegou a registrar de 30 a 40% de aumento no atendimento de pacientes com doenças respiratórias.
Dentre as condições respiratórias mais afetadas pela estação estão:
asma, bronquite, rinite e sinusite.

Saiba como o outono afeta, especialmente, quem convive com a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Tipos de bactérias e vírus predominantes no outono

Dentre os tipos de vírus e bactérias mais comuns nessa época do ano estão:
– Influenza (gripe);
– Adenovírus (resfriados);
– Vírus sincincial respiratório (causa dificuldades para respirar);
– Rotavírus (ocasiona em vômitos e diarreia).

É estimado, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que a gripe comprometa gravemente em torno de 3,5 milhões de pessoas, tendo idosos, crianças, portadores de doenças pulmonares, cardiopatas e imunocomprometidos entre os mais afetados.

Quanto ao coronavírus, apesar de afetar principalmente o trato respiratório e ter um comportamento semelhante ao vírus da gripe, o outono não apresenta um maior risco direto de contaminação. O ideal é prestar atenção para que as crises alérgicas não sejam confundidas com o novo vírus e garantir que as reações automáticas de coçar olhos e nariz sejam realizadas após a higienização correta das mãos.

Dicas para prevenção

Na hora de evitar contrair as doenças predominantes do outono que podem agravar um quadro de condição respiratória já existente, as principais indicações são:
– Evitar aglomerações;
– Higienizar as mãos corretamente;
– Evitar ambientes fechados e sem circulação de ar;
– Manter uma alimentação balanceada, a fim de preservar e fortalecer a imunidade;
– Manter as vacinas em dia;
– Evitar fumar ou estar em locais com concentração de poeira ou fumaça.

Redação CDD

Fontes: https://www.brasildefato.com.br/2020/03/19/outono-comeca-nesta-sexta-feira-e-casos-de-coronavirus-devem-aumentar

https://www.sbmfc.org.br/noticias/doencas-respiratorias-sao-mais-comuns-no-outono-e-inverno-saiba-como-preveni-las/
https://coracaoevida.com.br/outono-inverno-e-a-temporada-de-doencas-respiratorias/
http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53808-outono-doencas-respiratorias-e-alergias-se-agravam-nesta-estacao
https://www.anahp.com.br/noticias/noticias-hospitais-membros/doencas-respiratorias-aumentam-em-criancas-no-outono-e-inverno/
https://saude.ig.com.br/2020-03-23/coronavirus-no-outono-quais-cuidados-devemos-tomar-na-nova-estacao.html

Compartilhe!!!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima