Você sabe o que é a insuficiência cardíaca?

Entenda mais sobre a insuficiência cardíaca e os caminhos para o acesso ao tratamento pelo SUS

 

A insuficiência cardíaca (IC) acontece quando o coração está fraco e não consegue bombear sangue suficiente para atender plenamente as necessidades dos órgãos do corpo. Esta é uma condição grave e que oferece risco de morte ao paciente.

Cerca de 23 milhões de pessoas no mundo convivem com essa condição. Dados indicam que a sobrevida para a insuficiência cardíaca é menor do que as de câncer de próstata, intestino e mama: após 5 anos de diagnóstico pode ser de apenas 35%, com prevalência que aumenta conforme a faixa etária.

A insuficiência cardíaca é uma condição séria que requer tratamento médico, o qual deve incluir consultas com cardiologistas, exames e medicamentos.

Conversamos com a Dra. Nivia Tosetto, médica cardiologista pela UNIFESP, para tirar algumas dúvidas sobre essa condição e saber o que está disponível pelo SUS para tratamento.

Quais são os sintomas da insuficiência cardíaca? 

  • Dispneia (falta de ar)
  • Edema periférico (inchaço em pernas, pés e tornozelos)
  • Redução da energia
  • Dificuldades para dormir
  • Abdômen inchado, falta de apetite
  • Tosse
  • Aumento da frequência urinária à noite
  • Confusão mental, redução da memória

Quais são os fatores de risco da IC?

A insuficiência cardíaca é uma doença secundária, ou seja, é causada por outras condições prévias que danificaram o coração e impossibilitam esse órgão de bombear o sangue com oxigênio pelo corpo, de forma adequada e suficiente.

Segundo a Dra. Nivia, entre os principais fatores de risco estão infarto agudo do miocárdio prévio, hipertensão arterial sistêmica, doença de Chagas, alcoolismo, entre outros.

Qual a diferença entre os tipos de IC – aguda e crônica?

A IC pode ser caracterizada a partir da intensidade e aparecimento de sintomas.

Na insuficiência cardíaca aguda, os sintomas aparecem repentinamente, mas desaparecem logo, e exigem o atendimento hospitalar de forma emergencial. Essa condição geralmente ocorre após um ataque cardíaco. Também pode ser o resultado de um problema com as válvulas cardíacas que controlam o fluxo de sangue no coração.

Na insuficiência cardíaca crônica, o quadro se desenvolve gradativamente, por vezes ao longo de anos. Os sintomas são contínuos e não melhoram com o tempo, mas com o tratamento adequado, é possível manter a condição estável. A grande maioria dos casos de insuficiência cardíaca é crônica.

Como diagnosticar a IC?

Caso haja a suspeita de que você ou outra pessoa próxima convive com IC, o recomendado é buscar atendimento médico, de preferência com um cardiologista.

Ele fará uma avaliação inicial, perguntando sobre seu histórico clínico, para saber sobre condições prévias, histórico familiar e estilo de vida. Ele pode solicitar também alguns exames complementares para confirmar ou excluir o diagnóstico.

A pessoa que convive com insuficiência cardíaca pode ter uma boa qualidade de vida?

A IC pode afetar aspectos mais distintos na vida dos pacientes e de seus familiares, com impacto na saúde emocional, mudanças em suas relações financeiras, sexuais, de lazer e trabalho, por exemplo.

O tratamento adequado permite que a pessoa com IC tenha uma vida prolongada e mantenha a condição estável. Contudo, pode acontecer de a pessoa ter de conviver com algumas limitações, acrescenta a Dra. Nivia.

 Quais são os tratamentos disponíveis para insuficiência cardíaca no SUS?

O SUS oferece às pessoas com insuficiência cardíaca consultas com especialistas, exames como eletrocardiograma (ECG) e ecocardiograma, além de tratamento medicamentoso.

Se eu suspeito que tenho IC, como posso obter tratamento pelo SUS?

Para tratamento pelo SUS, você deve procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa e agendar uma consulta.

 

Quer saber mais sobre o assunto? Confira nossa matéria sobre os cuidados que pessoas que convivem com Insuficiência Cardíaca e Asma têm que tomar durante a pandemia do Covid-19

Compartilhe!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.

Rolar para cima