Por Vanessa Silva

Algumas pessoas me perguntam se choro. Choro, sim. Ninguém nessa vida espera viver por tudo que vivemos e ainda iremos, mas a dor passa logo e eu levanto, sacudo a poeira e dou a volta por cima! Afinal de contas, amanhã tem mais e tenho que estar pronta… e inteira.

Quando os dias estão mais pesados ou difíceis, lembro   que  o caue luta muito  e aqui estamos.

Vejam só como é a vida.caue tornou-se a alegria de muitas pessoas  .  Sinto que ele veio para nos unir, para nos mostrar o real valor das coisas, para aprendermos a amar e conviver com as diferenças, respeitando as fraquezas e limitações

Posso dizer que, a cada dia, me torno uma pessoa melhor e extraio de todas as minhas experiências (não apenas com ele) significados realmente positivos. E quando olho para o Cauê… como agora, e o vejo lutando ; feliz; evoluindo, no tempo dele, mas evoluindo; me encho de orgulho e penso, dá trabalho, mas vale a pena!

Meu filho, eu sei, é mais que especial! Ele é único…

A luta  do Cauê  é asma grave step5 ”. Quer dizer que ele tem uma grande dificuldade pulmonar crises frequentes e várias limitações no caso ..Gargalhar…correr..,não anda mais a uma quadra e sempre com oxigênio  Ele  Não corre, não pode se esforçar , não  pode con ceetos ambientes esta em tratamrnto pois e cronico  Mas tenho certeza que nunca vou subestimar meu filho! Leio pra ele, canto, brinco, conto histórias, explico as coisas mesmo sem saber se ele vai entender.

Essa “missão” não é nada fácil. A asma grave  pode trazer outros problemas como:, pneumonia  bronco aspiração, refluxo, enfim… é trabalhoso mas o pagamento é o sorriso mais meigo e encantador que já vi na minha vida!

As vezes tenho recaídas, claro sou um ser humano. Outro dia eu estava cochilando e no meio do sono olhei pra porta e “vi” o Cauê  entrando  Acordei, levei um susto e comecei a chorar porque sei que isso é o que me mantém firme …após cada crise . Aquilo me doeu muito. Mas dura pouco porque não me acho no direito de me sentir assim, seria muito egoísmo da minha parte, porque ele É muito feliz e o que importa é ELE, nada mais!

A prioridade da minha vida é o bem estar e felicidade deste menino, e sei que nesse campo estamos lutando dia após dia  e isso me dá paz. Nada no mundo me faz mais feliz do que um sorriso daquele bichinho!

Esse é meu pequeno grande rapaz! O meu Cauê

Espero que todos não sintam pena de mim e muito menos de meu filho, apenas orgulho, pois ele é um guerreiro desses que vem ao mundo com uma missão..de sorrir mesmo na dor !!

 

Fazem cinco  anos que vivemos essa aventura. Juntos. Um dia decidi que tu teria uma mãe feliz. Pra te ensinar, meu amor, sendo. Pra te mostrar que existe felicidade fora de caixa, sim. Fora de limites inventados, da perfeição, do correto, do ideal, existe uma liberdade de escolha intensa: Quem queremos ser?E nada é fácil aqui. Pra ti, uma infância totalmente fora do padrão.cinco  anos de tratamentos especializados de reabilitação de remédios …oxigênio  Sem férias, sem descanso. Cinco  anos sendo compreensivo com coisas que eu sei que nem sempre tu entendes. Essa maturidade que a vida te exigiu antes da hora. Pra mim, abrir mão de todo meu mundo, para olhar pro teu. Pra ser teus braços e tuas pernas por aí. Ser a continuidade do teu corpo no mesmo passo que me afasto do meu – tentando ser equilibrista e sempre levando tombos. Ver as dificuldades financeiras todas se empilharem no meu travesseiro que deito e não durmo. As mil dúvidas do futuro e só uma promessa levantando as minhas pernas pela manhã: Não vou desistir de ti.Tem coisas que ando repetindo. Tipo mantras da nossa selva particular. A vida é maravilhosa. O cérebro é sagrado. Te amo até a lua, ida e volta, 57 vezes. Tu é meu sol. Avante, campeão  avante. Lembretes contínuos daquilo que realmente importa. Tu cresceu, filho. Mais rápido do que os meus medos. Um pequeno rapaz, inteligentecorajoso, e olhos mais profundos que já encarei. Eu vejo cada detalhe de ti. Talvez justamente por não termos mais as palavras, passei a te ler com todos os sentidos, 360 graus. Teus tipos de sorriso, o tom dos teus olhos, a forma como tu te move em cada situação. Te faço muitas perguntas pra poder te descobrir, e te ajudar a ouvir a tua voz, de alguma forma. Temos um tipo de conexão que eu nunca conheci antes. Acho que descobri o amor dançando contigo. Empurrando teu oxigênio  por calçadas difíceis, enquanto choramos de rir de alguma bobagem. Escolho ver as partes bonitas em tudo isso. As curvas que demos em um prognóstico cheio de “nunca mais” e “impossível” – derrubados por ti um a um, cada vez mais – me lembra que podemos. Observar cada vez que teu corpo absorve uma melhora, entende um novo caminho. Cada vez que vejo tuas mãos desenhando. Cada vez que tu fica mais um milésimo sem crise Cada vez que me assusto ao te ver sentado sozinho sorrindo e lutando  porque nunca achei que tu conseguiria. E enche meus olhos de ti e de todo o amor que conheço. O teu sorriso de meio metro cheio de dentes, os teus pequenos milagres. Talvez sejam uma coisa só caue. Se abraçar na dor como uma medalha, enquanto afundamos em nós mesmos, é andar em linha reta. Assumir a placa é ter o direito inquestionável de permitir que o sofrimento dite caminhos, que as perdas falem sobre quem somos, para sempre. O que não conseguimos fazer, o quanto não fomos felizes. E é esse um dos meus grandes motivos para me orgulhar de ti: A tua alegria escancarada. Estrondosa. Sem razão. Força, afinal, não era bem o que eu pensava, sabe? Força é aquilo que somos capazes de construir a partir das nossas dores. Força é acolher sofrimento e felicidade, juntos. Ser resiliente sem endurecer, e assumir a responsabilidade dessa decisão.que ser tua mãe me tornou uma pessoa que gosto muito mais. Na fraqueza tem algo bonito, e na perda de muito, se encontra um impulso. Recomeçar cantarolando dá mais sorte que pouso de joaninha, assim como braços abertos protegem mais que escudo. Que tudo cabe, se for verdade. E que acordar feliz é uma escolha. Assim como desenhar um sol amarelo no meio do papel. Sol, de próprio punho. Trabalhar com o que se tem, afinal, é cantar sabedoria. E te olhar de alguma forma maluca, me fez me olhar olhar de alguma forma maluca, me fez me olhar com mais candura. O amor, filho, é essa coisa absurda, poderosa e transformadora. Mover-se também é deitar em uma rede pra ler poesia. Enfrentar também é gargalhar. A melhor forma, talvez. Caminhar pode ter tantas formas. Chegar é o ponto, mas aonde? desejava que fosse doce, mas agridoce também me serve. Aos poucos perco a tontura da roda gigante, e das minhas próprias palavras. Pulo medos, que nem as sete ondas da virada. E continuo. Transformo tudo em uma voz, que as vezes até reconheço. E sinto assombro em perceber, vira e mexe, que apesar de tanto, e contra todas as probabilidades calculadas, das caixas feitas, das regras claras, das gentes que tudo sabem, nós somos felizes. Meu pequeno grande Caue Gustavo

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email