SAÚDE MENTAL

Atualmente, ao falarmos o nome de doenças como esquizofrenia, depressão, ansiedade ou de temas como o suicídio, a imagem que vem à mente da maioria da população é a de pessoas incapazes de viver socialmente, violentas, desesperadas e tristes. No entanto, essas doenças estão muito próximas de todos nós e as pessoas que convivem com esses diagnósticos podem ter uma vida saudável se soubermos como tratar adequadamente cada uma dessas condições, lembrando que, antes de tudo, existe ali uma pessoa.

O tratamento precoce precoce e contínuo na saúde mental leva a melhores resultados, como menos internações hospitalares e maior participação social. No entanto, muitas vezes, o diagnóstico é demorado porque as pessoas sentem vergonha de seus sintomas e custam a procurar atendimento. Isso se deve também ao preconceito, que acaba fazendo com que pessoas com diagnósticos como depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia se isolem.

Estima-se que 322 milhões de pessoas no mundo têm depressão. Só no Brasil, 11,5 milhões de pessoas estão diagnosticadas com depressão, o equivalente a 5,8% da população. Nosso país também tem a maior prevalência de ansiedade no mundo: 9,3%. Não por acaso a OMS apresenta a depressão como a doença mental mais incapacitante do mundo até 2020.