A detecção precoce e o tratamento são fundamentais para o manejo da Doença Renal Crônica (DRC). Conhecer os fatores de risco é o primeiro passo. Afinal, os rins desempenham um papel importante na saúde de maneira geral, filtrando o sangue para regular os fluidos e eletrólitos do corpo e excretar resíduos e toxinas. Eles também regulam a pressão arterial e produzem hormônios.

A DRC é uma condição na qual os rins não conseguem filtrar o sangue tão bem quanto deveriam. Isso faz com que resíduos e excesso de líquido se acumulem no corpo, o que pode levar a várias outras condições de saúde, incluindo doenças cardíacas.

A DRC às vezes é chamada de “assassina silenciosa”, porque geralmente não causa sintomas até progredir para um estágio avançado. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de controle de doenças americano, mais de 9 em cada 10 pessoas com DRC leve e metade das pessoas com DRC grave não sabem do seu diagnóstico.

“Os rins têm enormes capacidades de reserva e podem perder até 70% da função total antes que as manifestações da doença renal avançada comecem a se desenvolver”, diz Hamid Rabb, MD, nefrologista e diretor médico do programa de transplante renal da Johns Hopkins em Baltimore. “A maioria dos pacientes chega a um especialista em rins nos estágios mais avançados da doença. Isso torna muito mais difícil tratar e prevenir o agravamento.”

A única maneira de detectar a DRC é com exames de sangue e urina. Com detecção e tratamento precoces, no entanto, medicamentos mais novos podem ajudar a retardar os danos nos rins e prevenir complicações, incluindo DRC em estágio final que requer diálise ou transplante, explica o Dr. Rabb. É por isso que é essencial conhecer seu risco de DRC e tomar medidas agora para manter seus rins saudáveis.

Fatores de risco para doença renal crônica

Há uma série de condições e outros fatores que podem aumentar o risco para doença renal crônica.

Diabetes

O diabetes é um dos principais fatores de risco para DRC e insuficiência renal. A nefropatia diabética, ou doença renal causada por diabetes, ocorre quando níveis elevados de açúcar no sangue danificam os vasos sanguíneos dos rins que ajudam a filtrar o sangue.

“O filtro dos rins engrossa e deixa cicatrizes, o que leva à perda de proteína na urina”, diz Rabb.

Uma vez que esse dano tenha ocorrido, não é reversível – e é por isso que é fundamental detectar e tratar o mais cedo possível.

Pressão alta

A hipertensão arterial é outra causa comum de DRC e a segunda principal causa de insuficiência renal. Juntamente com níveis elevados de açúcar no sangue, tende a contribuir para a DRC em pessoas com diabetes, diz Rabb.

“A pressão alta causa rigidez e espessamento das pequenas artérias nos rins e estreitamento das aberturas arteriais”, diz Rabb. Como o coração trabalha mais para bombear o sangue, o aumento da pressão arterial pode danificar os delicados vasos sanguíneos dos rins.

Como os vasos sanguíneos danificados são menos capazes de fornecer sangue oxigenado para as partes dos rins que o filtram, as artérias nos rins endurecem, enfraquecem ou estreitam progressivamente.

Como os rins ajudam a controlar a pressão arterial, a DRC também pode levar à pressão alta.

Histórico familiar

Se um familiar próximo – incluindo pais, irmãos ou avós – tem doença renal, você pode estar em maior risco de DRC. Algumas doenças genéticas estão bem estabelecidas para causar DRC, como a doença renal policística. Outros tipos de doença renal também podem ocorrer em famílias, mas os genes reais ainda não estão bem identificados, explica Rabb.

Como o diabetes e a pressão alta também tendem a ocorrer em famílias e são comumente associados à DRC, ter um parente próximo diagnosticado com uma dessas doenças também aumenta o risco de DRC.

“Há muitas pessoas com doença renal que não têm familiares conhecidos com doença renal”, acrescenta Rabb.

Obesidade

As pessoas obesas são mais propensas a ter diabetes e pressão alta, cada uma das quais aumenta o risco de desenvolver DRC. Os rins também precisam trabalhar mais para filtrar o sangue para atender às necessidades metabólicas aumentadas de alguém com um índice de massa corporal (IMC) mais alto, o que pode aumentar o risco de desenvolver DRC ao longo do tempo em pessoas com obesidade.

Idade

Ter 60 anos ou mais pode aumentar o risco de DRC, pois seus rins precisam trabalhar mais para fazer seu trabalho com a idade. Além disso, os idosos correm maior risco de diabetes e pressão alta, o que aumenta o risco de DRC.

Etnia

Embora qualquer pessoa possa ter doença renal, pesquisas norte-americanas sugerem que pessoas afro-americanas, hispânicas, nativas americanas ou asiáticas são mais propensas a serem diagnosticadas com DRC do que outros grupos, de acordo com o American Kidney Fund.

“Não se sabe quanto disso se deve a fatores genéticos e quanto se deve a fatores sociais e estilo de vida. No entanto, houve genes, como a mutação do gene APOL1, que foram associados a maior risco de progressão da DRC em pacientes de ascendência africana”, diz Rabb.

Outras pesquisas sugerem que esses grupos são mais propensos a ter menos acesso aos cuidados de saúde, necessários para apoiar sua saúde geral. Em comparação com a população em geral, as populações afro-americanas, hispânicas e nativas americanas são mais propensas a ter pressão alta e diabetes. Essas condições, por sua vez, parecem ter um efeito diferente em sua saúde e são mais propensas a levar à doença renal.

Embora os americanos asiáticos em geral sejam menos propensos do que a maioria dos americanos a ter diabetes, a condição afeta desproporcionalmente certos grupos, incluindo nativos do Pacífico, do Alasca ou havaianos, e pode afetar a saúde desses grupos de maneira diferente.

Outros fatores associados à doença renal

De acordo com Rabb, outros fatores que desempenham um papel no desenvolvimento da DRC incluem:

  • Fumar
  • Doença cardiovascular
  • Uso de drogas ilícitas
  • Lesão renal aguda por infecções ou efeitos colaterais de medicamentos
  • Doenças autoimunes, como lúpus
  • Doenças estruturais dos rins
  • Infecções recorrentes e pedras nos rins
  • Alta exposição a certos produtos químicos, como arsênico, cádmio e chumbo
Como reduzir o risco de doença renal crônica

Existem alguns fatores de risco de DRC, como a idade, que você não pode controlar. Mas há medidas que você pode tomar agora para reduzir o risco de DRC.

Converse com seu médico sobre fazer testes para DRC regularmente

“Seria razoável que adultos assintomáticos verificassem periodicamente a DRC”, diz Rabb. “Se um dos fatores de risco acima estiver presente, a triagem deve ser mais frequente.”

Seu médico provavelmente sugerirá fazer exames para doença renal a cada ano se você tiver diabetes. Você provavelmente também precisará de testes frequentes se tiver pressão alta, doença cardíaca ou histórico familiar de doença renal.

Os testes incluem:

  • Exames de sangue, que avaliam sua taxa de filtração glomerular, uma medida da eficiência de seus rins em filtrar seu sangue
  • Creatinina por ser produzida pelos músculos e dispensada apenas pelos rins, costuma ser um parâmetro para detectar doenças renais
  • Exames de urina, que verificam a albumina, uma proteína presente na urina quando os rins não estão funcionando bem
Fique atento aos sintomas

A maioria das pessoas não apresenta sintomas nos estágios iniciais da DRC. Quando os sintomas ocorrem, eles incluem:

  • Urina com sangue ou espuma
  • Fadiga e dificuldade de concentração
  • Diminuição do apetite
  • Pele seca e com coceira
  • Pés e tornozelos inchados
  • Olhos inchados
  • Aumento da necessidade de urinar
  • Problemas para dormir
  • Cãibras musculares
Se você tem diabetes, controle o açúcar no sangue

É fundamental controlar o açúcar no sangue se você tiver diabetes. De acordo com o CDC, os valores típicos de açúcar no sangue são de 80 a 130 mg/dL antes de uma refeição e menos de 180 mg/dL duas horas após o início de uma refeição. Mas você deve conversar com seu médico sobre as metas de açúcar no sangue certas para você. Tome todos os medicamentos prescritos pelo seu médico e siga uma dieta amigável ao diabetes.

Como os carboidratos podem aumentar o açúcar no sangue mais do que outros alimentos, seu médico pode aconselhá-lo a contar seus carboidratos juntamente com outras recomendações detalhadas de planejamento de refeições. Se você está lutando para seguir essas diretrizes, um nutricionista pode ajudá-lo a criar um plano alimentar personalizado.

Seu médico provavelmente também recomendará fazer exames de sangue regulares de hemoglobina glicada (A1C) e usar um medidor de glicose em casa para acompanhar os níveis de açúcar no sangue.

Tome medidas para controlar a pressão arterial

Verifique sua pressão arterial regularmente, especialmente se você já foi diagnosticado com pressão alta. Seu médico pode recomendar monitorar sua pressão arterial em casa. O CDC recomenda mantê-la abaixo de 140/90 mm Hg, mas você pode checar qual seria o valor ideal no seu caso.

Certifique-se de tomar medicamentos para pressão arterial conforme prescrito. E siga hábitos de vida saudáveis, como ter uma dieta balanceada com baixo teor de sal, manter-se ativo e manejar o estresse.

Tenha uma alimentação amigável aos rins

A dieta é uma das chaves para reduzir o risco de DRC, diz Rabb. Seguir uma dieta saudável pode reduzir o risco de diabetes e pressão alta. Concentre-se em comer:

  • Vegetais sem amido (folhas verdes escuras, cenoura, pimentão)
  • Grãos integrais (arroz integral, pão integral, quinoa)
  • Proteína (peixe, aves sem pele, carne magra, ovos, legumes)
  • Gorduras insaturadas (azeite, óleo de canola, nozes)
  • Laticínios com baixo teor de gordura

Reduza o sódio, especialmente carnes processadas (como salsichas e bacon), alimentos enlatados, refeições congeladas e condimentos (como ketchup e molho de soja). E limite alimentos açucarados, como bolos, assados ​​e sorvetes. Evite bebidas açucaradas, incluindo refrigerantes e sucos.

Se você já foi diagnosticado com DRC, seu médico pode recomendar cortar proteínas, potássio, fósforo e líquidos. Pode ser útil trabalhar com um nutricionista registrado para desenvolver um plano alimentar que atenda às suas necessidades individuais.

Faça outras mudanças no estilo de vida

Várias mudanças no estilo de vida podem ajudar a manter seus rins saudáveis, reduzir os riscos de outras condições crônicas, como diabetes, e apoiar sua saúde geral. Esses incluem:

  • Verifique com seu médico se algum medicamento que você toma – incluindo medicamentos sem receita e suplementos de ervas – tem possíveis efeitos colaterais nos rins
  • Beber bastante água para evitar a desidratação
  • Fazer atividade física que você gosta na maioria dos dias da semana, como caminhar, andar de bicicleta ou ioga
  • Mantendo um peso saudável
  • Abster-se de álcool ou beber uma quantidade moderada (não mais do que uma bebida por dia para mulheres e duas para homens)
  • Controlando o estresse
  • Parar de fumar, se você fuma
  • Tomar medicamentos conforme prescrito

Leia também no site da CDD:

Tradução e adaptação: Equipe da Crônicos do Dia a Dia (CDD) 

Fonte: Everyday Health

Escrito por Colleen de Bellefonds, revisado por Kacy Church, MD, em 2 de agosto de 2021.

Compartilhe!!!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima