Isso é SUS: Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas e Agravos não Transmissíveis no Brasil

Você sabe o que são as DCNT? Mesmo que a sigla aparente ser desconhecida, certamente você já conhece ou, talvez, até conviva com alguma delas.

DCNT significa doenças crônicas não transmissíveis, ou seja, são doenças sem origem infecciosa. Além disso, as DCNT são caracterizadas por diferentes causas, mas têm em comum longos períodos de latência, curso prolongado e podem resultar em incapacidades funcionais se não acompanhadas de forma adequada. 

As DCNT incluem doenças cardiovasculares, câncer, diabetes, doenças respiratórias crônicas, entre outras. Nas últimas décadas o Brasil teve redução de mortes por doenças transmissíveis e da mortalidade infantil, por exemplo, o que aumentou a expectativa de vida da nossa população. Em compensação, as doenças crônicas não transmissíveis aumentaram. Dados do Global Burden of Disease (GBD) para o Brasil mostram que, enquanto em 2010 a mortalidade proporcional por DCNT correspondeu a 73% (852 mil mortes), em 2017 este valor passou para 76% (1,03 milhão de óbitos), o que demonstra que as DCNT tiveram um notável crescimento no período. Ou seja, os números que já eram altos estão com tendência de aumento. 

Ler sobre esses números pode ser impactante, afinal estamos falando sobre condições crônicas que fazem parte do nosso dia a dia, por isso, precisamos desacomodar e darmos a devida importância a elas. 

Aproveitando que 14 de novembro foi o Dia Mundial da Diabetes, o Isso é SUS deste mês é sobre o Plano de Enfrentamento de Doenças Crônicas não Transmissíveis, afinal viver com qualidade de vida, independente de diagnósticos, é o nosso objetivo! Confira.

PLANO DE ENFRENTAMENTO DAS DCNT

O plano tem como objetivo a promoção, desenvolvimento e implementação de políticas públicas para a prevenção e o controle das doenças crônicas não transmissíveis e seus fatores de risco e se concentra nos quatro principais grupos de DCNT, que são as doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias crônicas e diabetes. Além disso, seu foco são em fatores de risco modificáveis – relacionados com hábitos de vida-, como tabagismo, consumo abusivo de álcool, sedentarismo e obesidade. As ações e diretrizes do plano são definidas em três eixos:

  • Vigilância, informação, avaliação e monitoramento.
  • Promoção da saúde.
  • Cuidado integral.

Como o foco é promoção da saúde, a Atenção Primária é central para diferentes ações estratégicas do plano, dos quais destacamos 2 programas que também são importantes para o plano e que já trouxemos no Isso é SUS: o Programa Saúde na Escola (PSE) e o Programa Academia da Saúde. Para conhecer as demais e diferentes ações estratégicas do plano, acesse aqui. 

Antes de terminar, você sabia que a dieta inadequada é o fator que mais contribui para os anos de vida perdidos da população brasileira? Pois é, a alimentação impacta mais em nossa saúde do que fatores como o próprio uso de álcool, tabagismo e inatividade física, por exemplo. 

Em um contexto onde a fome volta a ocupar noticiários, estamos diminuindo o consumo de arroz e feijão e aumentando o consumo de alimentos ultraprocessados, que possuem relação com o aumento de peso e obesidade. Lembrando que entre pessoas adultas com hipertensão, 74,4% têm excesso de peso, e com diabetes, 75,2% têm excesso de peso.

Mudanças no padrão alimentar e de prática de atividade física da população são tidas como causas centrais para grande parte das DCNT, por isso é importante frisar que nenhuma política pública isoladamente dará conta de promover a saúde. A alimentação é um direito social reconhecido na Constituição Brasileira e é fundamental entendermos que a qualidade do alimento que consumimos não se limita a escolhas individuais. O que colocamos (ou não) em nossa mesa possui influência direta de escolhas políticas. Por exemplo, ao conceder benefícios fiscais para indústrias de bebidas adoçadas – como refrigerantes e sucos artificiais -, o valor desses produtos se tornarão/permanecerão mais atrativos a muitas pessoas. Agora, se esses benefícios fossem substituídos por incentivos a produtos nutritivos, certamente esses alimentos chegariam com maior facilidade em nossas mesas, não é mesmo?

Por aqui, seguimos em defesa do SUS e que a saúde seja algo garantido a todas, todos e todes, lembrando que ela só será possível com trabalho e moradia digna, acesso a alimentação e demais direitos básicos.

Te espero no próximo mês com mais um Isso é SUS!

 

Referências:

https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_nacional_saude_2020_2023.pdf

https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/biblioteca/plano-de-acoes-estrategicas-para-o-enfrentamento-das-doencas-cronicas/

 

Isso é SUS: O Sistema Único de Saúde é uma conquista da organização e da força do movimento social brasileiro. O SUS vai além da lógica de controle e tratamento de doenças, sendo responsável pela articulação de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde de toda população – incluindo quem paga plano de saúde. Pensando na grandiosidade do nosso SUS, o Isso é SUS é um espaço em que traremos, mensalmente, diferentes políticas, programas e estratégias dessa política de saúde. Já que o SUS é um patrimônio nosso, nada mais justo do que o conhecermos melhor, não é mesmo?

Compartilhe!!!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima