Isso é SUS: Programa Nacional de Imunização

Em junho, dia 9, temos o Dia Mundial da Imunização. Em decorrência da pandemia por coronavírus, a importância dessa estratégia de saúde coletiva ganhou espaço nos noticiários e despertou ainda mais o interesse da população. Mesmo com os atrasos na vacinação contra a COVID-19, provavelmente você já ouviu falar que o Brasil é referência mundial em vacinação, não é mesmo? Para reforçar a importância desse reconhecimento – e resgatá-lo -, o Isso é SUS deste mês aborda o Programa Nacional de Imunização, responsável por garantir que todas as vacinas recomendadas pela OMS cheguem de forma equânime – que considera a vulnerabilidade e as especificidades sociais – e também de forma universal para todas, todos e todes que estão no Brasil!

Como surgiu o Programa Nacional de Imunização (PNI)

Após a experiência exitosa da vacinação que eliminou a varíola no Brasil em 1971, percebeu-se a necessidade de implementar uma estratégia que permitisse a erradicação ou controle de doenças por meio de vacinas. A partir do reconhecimento dessa necessidade, e com o objetivo de estimular e expandir a utilização de imunizantes em todo território brasileiro, de forma contínua, surgiu em 1973 o Programa Nacional de Imunizações – PNI. 

Já enquanto PNI, organizamos também a histórica Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. Criada em 1980, com o objetivo de imunizar toda a população infantil, a campanha foi responsável por erradicar a doença no país, registrando seu último caso em março de 1989. Pela data, você deve ter percebido que o PNI é anterior ao SUS, mas saiba que o SUS possibilitou ao programa expandir sua atuação, fazendo com que as vacinas chegassem de forma eficiente a todas as pessoas, inclusive nos locais de difícil acesso. 

Vale destacar que somos um dos países mais populosos, com uma das maiores extensões territoriais e de imensa desigualdade socioeconômica. Mesmo assim, conseguimos conquistar a excelência em vacinação, o que nos levou a organizar campanhas, apoiar programas e ofertar cursos sobre imunização para outros países do mundo. 

Atuação do PNI

Dentro da estrutura do Ministério da Saúde, o Programa Nacional de Imunizações faz parte do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis que, por sua vez, faz parte Secretaria de Vigilância em Saúde. Através do desenvolvimento de ações planejadas e sistematizadas, além da erradicação da varíola e poliomielite, o PNI já desenvolveu diversas estratégias e campanhas que resultaram no controle do sarampo – apesar dos recentes retrocessos -, do tétano neonatal e acidental, formas graves de tuberculose, difteria e coqueluche. Além disso, implementou medidas para o controle das infecções por rubéola, pneumocócicas, hepatite B… e claro, a tão conhecida vacina da gripe (contra a H1N1). Ah, sobre a pandemia por H1N1, de 2010, você sabia que o PNI vacinou 80 milhões de pessoas em apenas três meses? 

O PNI é gigante, pois conseguiu desenvolver a capacidade de produção tecnológica de vacinas, atuação nos territórios através da Atenção Básica e o desenvolvimento de estratégias de mobilização da sociedade. Um exemplo dessa mobilização é o Zé Gotinha, que fez e faz parte da infância de brasileiras e brasileiros, incentivando a conscientização e participação das famílias de forma lúdica e efetiva. 

Mesmo diante ataques ao SUS, é muito bom lembrar quão linda é nossa história, não é mesmo? Lembre-se que defender a vacina é valorizar cada vida perdida (por falta de acesso ou negligência), lutando para que o direito à saúde seja efetivado e ninguém mais perca o direito de usufruir o que temos de mais precioso: a vida!

CONFIRA O NOSSO POSICIONAMENTO SOBRE A VACINA CONTRA O CORONAVÍRUS AQUI

VIVA A VACINA! VIVA O SUS!

AbraSUS,

Vitória

 

Referências:

Livro Programa Nacional de Imunizações – 30 anos

Combate à epidemia de H1N1: um histórico de sucesso

Programa Nacional de Imunizações (PNI) e Covid-19: desafios a uma história de quase meio século de sucesso

Isso é SUS: O Sistema Único de Saúde é uma conquista da organização e da força do movimento social brasileiro. O SUS vai além da lógica de controle e tratamento de doenças, sendo responsável pela articulação de ações de promoção, proteção e recuperação da saúde de toda população – incluindo quem paga plano de saúde. Pensando na grandiosidade do nosso SUS, o Isso é SUS é um espaço em que traremos, mensalmente, diferentes políticas, programas e estratégias dessa política de saúde. Já que o SUS é um patrimônio nosso, nada mais justo do que o conhecermos melhor, não é mesmo?

Compartilhe!!!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima