O papel do cuidador é importante. Muitas vezes, é a maior expressão de amor que pode ser oferecida. Cuidar pode ser difícil, principalmente quando a pessoa com quem você cuida tem uma condição progressiva, como doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Algumas pessoas se tornam cuidadoras de repente e sem aviso prévio. Para outras, o papel evolui lentamente ao longo do tempo. Ser cuidador de um cônjuge, pai, amigo ou outro ente querido leva muito tempo. Isso traz desafios intelectuais e emocionais para o cuidador e o paciente. No entanto, a situação também pode fortalecer o relacionamento. A atitude do cuidador também pode mudar a atitude do paciente. Uma perspectiva positiva do cuidador pode fazer maravilhas para o paciente.

É importante perceber que você não está sozinha – a maioria das pessoas cuidadoras atualmente são familiares. Os cuidadores familiares fornecem uma média de 20 horas de atendimento por semana, com muitos prestando assistência 24 horas por dia.

Como cuidador de DPOC, seu foco principal estará naturalmente no seu ente querido. No entanto, seu próprio bem-estar é vital para vocês dois. Você deve se lembrar de cuidar de suas próprias necessidades.

O que você precisa saber como cuidador de DPOC

Cuidar pode atrapalhar a vida dessa pessoa. Especialmente nos estágios iniciais do novo relacionamento com o paciente, não é incomum que o paciente e o cuidador sintam uma perda de controle. O paciente pode sentir que está se tornando um fardo. Eles podem sentir que perderam a autoestima porque não podem realizar atividades que antes desfrutavam. Para o cuidador, os novos deveres podem ser desafiadores. Uma das coisas mais importantes que você pode fazer como cuidador é ser informado. Educar-se sobre a DPOC e seu papel pode ajudá-lo a se sentir melhor preparado para seus deveres como cuidador. Isso acabará por beneficiar a saúde e o bem-estar geral do seu ente querido. Existem muitos recursos disponíveis para apoiar os cuidadores e ajudá-los a se manterem informados. Conte com a CDD para obter informações e com nosso grupo de cuidadores no whatsapp para compartilhar experiências: bit.ly/CDDcuidadores

 

Cuidar e equipe de cuidados compartilhados

Um dos melhores recursos é o profissional de saúde de seu ente querido (médico, enfermeiro ou assistente médico). Trabalhar em equipe com o prestador de cuidados de saúde do seu ente querido é útil tanto para o cuidador quanto para o paciente. A abordagem de tratamento de “cuidado compartilhado” permite que pacientes, profissionais de saúde e profissionais de saúde trabalhem melhor juntos, ajudando a gerenciar a DPOC do seu ente querido. Como cuidador, você desempenha um papel importante na equipe de cuidados compartilhados. 

Sua função como cuidador em ajudar a gerenciar a DPOC

Ao rastrear sintomas e encontrar gatilhos que agravam a doença, você também pode ajudar seu ente querido e o profissional de saúde a recomendar um plano de tratamento. O plano de tratamento de um paciente com DPOC pode incluir reabilitação pulmonar, tratamentos médicos diários e / ou uso de oxigênio. Os dispositivos de medicação para DPOC precisam ser usados ​​da maneira correta para garantir que o paciente receba a quantidade certa de medicamento. O cuidador deve saber a maneira correta como cada dispositivo é usado e ajudar seu ente querido, conforme necessário. Se seu ente querido tiver algum problema ao usar um dispositivo de medicação para DPOC, você e seu ente querido poderão conversar com seu médico sobre a consideração de outras opções de tratamento.

  • A DPOC é uma doença progressiva, o que significa que piorará com o tempo. Como cuidador, é importante que você esteja ciente dos sinais de progressão da DPOC. Alguns sinais que a DPOC se tornou mais grave incluem:
  • Sintomas como falta de ar, pieira ou tosse crônica pioraram
  • Aumento do cansaço
  • Relutância em exercitar ou realizar atividades que foram realizadas com mais facilidade
  • Crises e visitas mais frequentes ao hospital ou clínica para tratar a DPOC
  • Uma crescente luta para se locomover em casa, como subir e descer escadas
  • Problemas para realizar atividades diárias, como vestir-se ou tomar banho
  • Aumento da depressão ou ansiedade, especialmente quando confrontado com qualquer tipo de estresse
  • Não sair de casa devido a sintomas de DPOC

Se você perceber que a DPOC piorou, vocês devem entrar em contato com o médico para discutir essas mudanças e novas opções de tratamento.

 

Cuidando de si mesmo como cuidador

Cuidar pode ser gratificante em muitos níveis, mas também pode ser um desafio. É difícil ver alguém que você ama precisando de cuidados com saúde. Além disso, o cuidado pode mudar a família e, às vezes, levar a desentendimentos sobre a melhor forma de cuidar do paciente. Pode haver grande tristeza, desesperança, sentimentos de solidão. Os cuidadores também podem sofrer muito estresse, pois as demandas do cuidador retiram o lazer e o tempo pessoal. Não é fácil permanecer positivo, apesar de uma doença crônica progressiva, mas uma boa atitude será ótimo para todos os envolvidos!

Atitudes como tentar ser gentil um com o outro, agradecer por qualquer consideração ou esforço oferecido, pode fazer que os encargos de todos os envolvidos pareçam muito mais leves.

É importante dar o primeiro passo para melhorar a qualidade de vida de quem você ama e de si mesmo e encontrar o apoio necessário. Ao se sentir melhor, você pode ajudar seu ente querido a se sentir melhor. Procure um tempo para se dedicar a você. 

Cuidar é colocar muito estresse em você?

Com tanto tempo dedicado ao cuidado, pode ser fácil esquecer de si mesmo. Também é fácil ignorar os sinais de alerta de que você está sob muito estresse. Os sinais comuns de estresse do cuidador a serem observados incluem:

  • Sentir-se triste ou preocupado
  • Baixo nível de energia, sensação de cansaço
  • Problemas para dormir ou dormir demais
  • Ganhar ou perder peso
  • Perder o interesse em hobbies ou atividades sociais
  • Ser facilmente irritado
  • Sentir-se oprimido

Não é incomum sentir-se sobrecarregado como cuidador. Converse com seu médico, seus amigos, pessoas próximas que possam ajudar. Tente reservar um tempo para fazer algo por si mesmo – seja um hobby, uma ligação telefônica com um amigo, dando uma longa caminhada ou 5 minutos de meditação já pode melhorar seu dia a dia. Mantenha contato com seus amigos e familiares e peça ajuda para cuidar.

 

Texto adaptado por Redação CDD de COPD Foundation ( https://www.copdfoundation.org/Learn-More/I-am-a-Caregiver/The-COPD-Caregiver.aspx)

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email