Durante a maior parte do tempo, os pacientes de osteoporose não possuem sintomas, mas quando já existem fraturas vertebrais eles podem começar a sentir dores nas costas.

As dores nas costas provocadas pela osteoporose podem ser agudas ou crônicas, e a maneira de lidar com elas é diferente nos dois casos.

Dor aguda

A dor aguda nas costas é habitualmente provocada por uma fratura  vertebral Surge de forma súbita, é muito intensa e incapacitante, mas dura pouco tempo, não mais de 2 ou 3 semanas. Para tratar esta dor é necessário tomar analgésicos (medicamentos para as dores) e repousar por alguns dias, evitando as atividades mais pesadas do dia-a-dia.

Dor crônica

A dor crônica resulta do esforço que é colocado nos músculos e ligamentos da coluna.

Muitos pacientes desenvolvem uma corcunda e diminuem de altura como consequência da osteoporose. Isso é resultado de várias pequenas fraturas, que muitas vezes podem até ter passado despercebidas. Estas alterações tornam mais difícil manter a coluna vertebral direita, exigindo um maior esforço dos músculos e ligamentos. Este esforço é a causa da dor crônica.

A dor crônica pode durar meses. A sua intensidade pode até nem ser muito grande, mas é muito incômoda e pode dificultar as tarefas diárias.

Nos períodos de agravamento da dor, deve-se tomar os analgésicos que o seu médico receitou. Não espere que a dor seja insuportável para começar a tomar os medicamentos.

Outras medidas simples como a aplicação de calor no local são úteis para aliviar as dores nas costas. A mudança frequente de posição e a utilização de um bom suporte lombar (p.ex. uma almofada atrás das costas quando estiver sentado) são outros exemplos de coisas simples que também podem ajudar.

A prática regular de exercícios que ajudam a fortalecer e a alongar os músculos das costas são muito importantes para diminuir a dor crônica. Estes exercícios podem ser executados em casa, depois de serem aprendidos com um terapeuta.

A execução das tarefas diárias de forma correta é fundamental para evitar as dores nas costas e também para evitar novas fraturas vertebrais.

 

Compartilhe!!!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on email